COMPARTILHAR
catacumbas-paris

Paris é conhecida como La Ville Lumière (A Cidade da Luz): um lugar cheio de beleza e charme que atrai multidões do mundo inteiro. Todo esse glamour, no entanto, esconde abaixo desta bela cidade um escura colmeia de túneis que guardam os restos mortais de 6 milhões de seus antigos habitantes: as chamadas Catacumbas de Paris.

Uma rede de cavernas antigas, pedreiras e túneis que se estendem a centenas de milhas, e aparentemente alinhada com os ossos dos mortos.

catacumbas-em-paris
“Pare. Este é o Império da Morte”

As Catacumbas de Paris têm suas origens nas pedreiras de calcário situado nos arredores da cidade. Este recurso natural tem sido usada desde o tempo dos romanos, e forneceu material de construção de edifícios da cidade, assim como contribuiu para o crescimento e expansão da cidade. Foi só depois de durante a segunda metade do século 18, no entanto, que as antigas minas de calcário (agora sob a cidade como ela se expandiu ao longo dos séculos) foram transformados em locais de sepultamento.

Por volta do século 18, cemitérios parisienses, como Les Innocents (o maior cemitério de Paris), foram tornando-se superpovoados, dando origem a enterros impróprios, sepulturas abertas e cadáveres jogados ao ar livre. Muito naturalmente as pessoas que viviam próximo desses lugares começaram a reclamar sobre o forte cheiro de carne em decomposição, além da propagação de doenças ao redor dos cemitérios, fazendo com que a água dos reservatórios locais fossem contaminadas. O resultado era claro: mais pessoas doentes e, consequentemente, mais mortes.

Em 1763, um decreto foi emitido por Louis XV proibindo todos os enterros na capital. A Igreja, porém, não quis mover os cemitérios, então se opuseram à sentença. Como resultado nada foi feito. A situação persistiu até 1780, quando um inesperado longo período de chuva na primavera causou a queda de uma parede em torno das Les Innocents, fazendo com que as estruturas do cemitério entrasse em colapso, resultando no derramamento de cadáveres apodrecendo em uma propriedade vizinha. Depois deste ocorrido as autoridades francesas foram obrigadas a tomar medidas.

catacumbas-de-paris

Em 1786 as antigas pedreiras Tombe-Issoire foram abençoadas e consagradas pela igreja, transformando-se então nas Catacumbas de Paris. Os ossos foram retirados de 1786 até 1788 do Les Innocents para as catacumbas. Eles semore foram transferidos à noite numa espécie de cerimônia feita de uma procissão de sacerdotes que cantava ao longo do caminho para as Catacumbas. Nas décadas seguintes os ossos dos mortos foram removidos dos cemitérios nos arredores de Paris para também serem enterrados nas catacumbas. Além disso, a prática de enterrar os mortos recentes diretamente nas catacumbas começou após a Revolução Francesa.

ponto-turistico-paris

Desde o primeiro dia em que a transferência dos cemitérios, as Catacumbas de Paris tem sido um objeto de curiosidade até mesmo para a realeza. Em 1787 Lord of d’Artois, que se tornou rei Charles 10, foi até lá com algumas mulheres da corte. Em 1814 François I, o Imperador da Áustria, foi visitá-las e explorá-las enquanto estava em Paris. Em 1860 Napoleão III foi lá com seu filho. As paredes das catacumbas também estão cobertos de pichações de namoro desde o século XVIII. Muitos, infelizmente já deixaram a sua marca neste lugar. Perto do final do século XVIII as catacumbas tornaram-se uma atração turística e foram abertas ao público desde o ano de 1867.

As catacumbas são uma parte bem sinistra de Paris. Elas são tranquilas, escuras, úmidas e transmitem um certo ar de melancolia. Há lotes de ossos ao redor e a maioria deles estão bem empilhados uns sobre os outros. Você nunca vai saber quem é quem, se o crânio que você está olhando pode ser alguém que morreu de peste ou de um rico aristocrata. Nunca se sabe.

Embora as Catacumbas de Paris estejam abertas ao público em geral nos dias de hoje, o acesso é limitado a apenas uma pequena parte dos túneis. Aliás, desde 1955 é ilegal tentar acessar as outras partes das catacumbas.

o-que-fazer-em-paris-catacumbas

No entanto, em 2004 a polícia parisiense foi designada para fazer um exercício de treinamento em uma parte previamente inexplorada das Catacumbas de Paris, embaixo do Palais de Chaillot, próximo à torre Eiffel. Entrando nas catacumbas através de um dreno os policiais se depararam com um cartaz que dizia “Local em construção, sem acesso”, além de uma câmera que transmitia imagens daqueles que passavam por ali.

Quando os policiais pegaram a câmera uma gravação de cães latindo foi acionada. Ao seguir pelos túneis mais uma surpresa: as catacumbas foram invadidas ilegalmente por exploradores urbanos parisienses, conhecidos como cataphiles. Alguns dos espaços sequer foram restaurados e mesmo assim se tornaram em locais de grande criatividade. Uma destas cavernas subterrâneas, por exemplo, foi transformada em um anfiteatro secreto, portando uma tela de cinema gigante, equipamentos de projeção, assentos e um punhado de filmes, desde clássicos a filmes mais recentes. A área ao lado do “cinema” também foi modificada, transformando-se em um bar totalmente abastecido e em um restaurante. Este seria, talvez, onde os frequentadores desse submundo secreto faziam um lanche e tomavam um drink entre uma sessão e outra.

fotos-de-paris

A descoberta deixou a polícia surpresa ao encontrar todos esses aparatos, uma instalação profissional de linhas de eletricidade e mais três de telefone. E, ao voltarem três dias depois, na companhia de peritos do Conselho Francês de Energia Elétrica para tentar descobrir de onde a energia estava vindo, os cabos tinham sido cortados e um papel havia sido deixado no chão. “Não tentem nos encontrar”, dizia o bilhete.

Estima-se que mais de 300 cataphiles entram nas catacumbas a cada semana através de entradas secretas. Os que não são cataphiles e turistas, no entanto, muitas vezes não são bem-vindos a essas reuniões.

Desde o seu início, como uma pedreira de calcário, para a sua utilização no enterro dos mortos no século XVIII, e ao papel que desempenha hoje na vida dos cataphiles e no turismo, as Catacumbas de Paris se tornaram uma característica importante da cidade luz, mesmo que ainda tenham alcançado tamanha fama dos demais pontos turísticos. Mas não é qualquer um que se dispõe a entrar em cavernas com ossadas por todos os lados.

visitar-catacumbas-de-paris

Embora a exploração sistemática dos túneis subterrâneos possam trazer luz aos demais caminhos das catacumbas, isso seria bastante criticado pela maioria da sociedade. Afinal de contas, o segredo dos túneis das catacumbas e a oportunidade de fugir da agitação da cidade movimentada que fica logo em cima, são conceitos atraentes para os cataphiles. E eles provavelmente não iriam abrir mão de seu submundo tão facilmente.

Como visitar as Catacumbas de Paris

Para chegar às catacumbas, você pode pegar o metrô e RER para Denfert-Rochereau, ou tomar o ônibus de número 38 ou 68.

O museu está aberto de 10 h às 20 h, todos os dias, exceto na segunda-feira e feriados públics. A última entrada é às 19:00 h e as visitas são limitadas a 200 pessoas no local (as entradas podem ser interrompidas temporariamente por causa da lotação). O ingressos pode ser comprado antecipado no site Tícket Bar, assim você evita filas e não corre o risco deles esgotarem.

Clique na Imagem Abaixo e Compre seu Ingresso para as Catacumbas de Paris

Ingresso Catacumbas de parisVerifique o site oficial das Catacumbas de Paris antes de visitá-las, porque às vezes elas são fechadas sem aviso ou explicação

Quer mais dicas sobre a cidade luz? Saiba através desse artigo  o que fazer em Paris.

2 COMENTÁRIOS

  1. Hoje dia 8 de março, entrei nas catacumbas e fiquei muito surpreso com esse local. Paguei 11 euros pela entrada, mas vale a pena.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui