Home Dicas Dicas de Viagem 7 maneiras de viajar gastando pouco

7 maneiras de viajar gastando pouco

244
3
COMPARTILHAR
Quando se trata de viajar inúmeras ideias surgem para que você consiga enfim colocar logo o pé na estrada e iniciar sua tão sonhada aventura. Porém, um dos grandes empecilhos que adiam cada vez mais isso tudo é a falta de dinheiro. E mesmo você conseguindo partir, às vezes o orçamento é muito curto para que você possa de fato estar mais tempo num lugar e ter contato com a verdadeira cultura local. A parte boa disso tudo é que, mesmo num mundo cada vez mais capitalizado, surgem cada vez mais excelentes maneiras para que você viaje gastando muito pouco. E são inúmeras as opções, onde você pode trocar hospedagem e alimentação em um hostel ou numa fazenda orgânica, ou se hospedar no sofá de um morador local, por exemplo. Então confira a seleção de 7 maneiras de viajar gastando pouco.

1. Couchsurfing.

Como o mesmo nome em inglês diz, “surfar no sofá”, consiste em se hospedar na casa de um nativo do local que você está ou pretende viajar. O local oferecido pelo anfitrião para que você possa se hospedar não se resume somente ao sofá. Muitos cedem também, redes, locais para camping no próprio quintal, casas de árvore, camas e muitas outras opções. Depende muito do espaço disponível. E a parte boa de viajar dessa maneira é que você consegue ver de perto como vivem os moradores locais.

O site mais conhecido é o www.couchsurfing.com. Basta fazer um cadastro e passar a buscar sua hospedagem, e você ainda consegue ter uma noção de como é o local escolhido através de uma nota que cada anfitrião recebe por pessoas que passaram por ali antes. A parte desconfortável é que ele tem o direito de recusar sua escolha, então tenha mais de um “sofá” reservado antes de partir.

2. Voluntário no Sudão.

É um programa em que o voluntário auxilia no ensino do idioma inglês em escolas, universidades e comunidades no Sudão, na África. Geralmente você paga apenas sua passagem e tem direito a alojamento, alimentação e a cobertura de alguns outros custos. Algumas instituições avaliam ainda a possibilidade de que o voluntário receba uma ajuda de custo. Na minha opinião é um dos melhores programas quando assunto é viajar e ao mesmo tempo fazer algo para o bem social. Você pode conseguir mais informações no site www.svp-uk.com.

3. WWOOF.

No programa de voluntariado da WWOOF você irá trabalhar em fazenda orgânicas que não possuem estrutura e mão de obra suficiente para se manterem. O período de trabalho diário é de 4 a 6 horas, e você recebe em troca comida e hospedagem durante todo o tempo. O site é o www.wwoof.net.

4. HEPLX.

No mesmo estilo da WWOOF, porém os locais de trabalho são mais variados e vão desde as fazendas, quanto opções em hostels, hotéis e ranchos, por exemplo. Se cadastrando no site você terá acesso aos vários tipos de programas oferecidos e pode escolher o que mais se encaixa no seu perfil.

5. Trabalhar em navios de cruzeiro.

Essa é uma opção para que deseja conhecer muitos lugares, com alojamento, alimentação e outros benefícios garantidos. Há navios que ficam em uma determinada área por meses, mas há outros que fazem uma verdadeira volta ao mundo. E você consegue, é claro, ganhar uma grana com isso. Além de conhecer pessoas de diversos países trabalhando com você. Muitas são as opções e companhias. Em algumas funções você tem tempo livre o suficiente para sair quando o navio está no porto, e em outras o seu tempo é muito escasso para isso. Os salários também variam muito. Apenas tome cuidado na escolha pois há empresas de recrutamento fraudulentas que mostram somente o lado bom da vida a bordo. Se você deseja se aventurar dessa maneira, sugiro consultar alguns dos inúmeros blogs, sites e comunidades especializados no assunto.

6. Home Exchange (troca de casa).

Ao pé da letra, dois anfitriões interessados em se hospedar em outros lugares trocam suas residências em período simultâneo ou não. Se no caso a troca não for no mesmo período, você recebe uma espécie de crédito para que numa viagem futura possa usar a casa do seu antigo hóspede. Normalmente paga-se uma anuidade simbólica de cerca de 10 dólares para se cadastrar, e caso você não utilize o serviço alguns sites oferecem mais oferecem mais ano de graça. O mais conhecido é o www.trocacasa.com/pt.

7. Worldpackers.

Um dos meus favoritos não somente bom oferecer uma alternativa bacana para não gastar tanto numa viagem, mas também por ter sido criado por um brasileiro. Os sócios Ricardo Lima e Eric faria criaram o programa depois de largar empregos estáveis e tradicionais para conhecerem o mundo trabalhando em hostels por onde passavam. A proposta é de que você faz um cadastro no site e a partir daí terá acesso a inúmeros albergues que oferecem hospedagem em troca de trabalho pelo mundo. A jornada semanal é de 20 a 24 horas e em alguns casos você também recebe alimentação e uma grana pelo seu trabalho. Você pode ainda escolher entre trabalhar na recepção, como dj, na limpeza, em marketing digital, no ensino de idiomas e em outras funções que variam de acordo com suas habilidades. Quem está acostumado a se hospedar em hostel sabe como é gostoso estar nesse ambiente. Inclusive para quem trabalha. Mais informações no site www.worldpackers.com.
Fotos divulgação.

3 COMENTÁRIOS

  1. Nice to meet you! I love the theme of your blog. Methinks we’ll have tons in common! I can’t beelive these are actual pictures I’m looking at. When I saw your private deck I got chills. Seriously.

  2. Amigo, vale pelas dicas. Sao dicas simples e que se colocada em pratica vai nos ajudar a conseguir permitir um passeio bacana e gastando pouco e nessa epoca em que tudo esta subindo de preco, economizar e a palavra e ordem.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui