Home Dicas Dicas de Viagem 7 cidades pequenas na Europa que todo viajante deveria visitar

7 cidades pequenas na Europa que todo viajante deveria visitar

539
0
COMPARTILHAR

Conhecido como o velho continente, a Europa esconde riquezas que vão muito além das já famosíssimas e tão procuradas capitais. As cidades pequenas, algumas vezes chamadas de secretas, podem te surpreender tanto que você corre o risco de ficar viciado em descobrir muitas outras delas, assim como eu fiquei. Foi pensando em compartilhar alguns desses tesouros escondidos que resolvi fazer a minha lista das 7 cidades pequenas na Europa que todo viajante deveria visitar.

 1. Colmar – França

Colmar

Uma cidadezinha de clima tranquilo e que fica na região da Alsácia, na França. Há poucos quilômetros dali há ainda a fronteira que o país faz com a Alemanha que, num passado distante, dominou essa cidadezinha. Colmar é uma cidade com muitas casas coloridas, grande variedade de bons restaurantes e bem no centro o canal corta a cidade dando um charme a mais. Indo de trem você chegará aos principais pontos da cidade a pé, que tem ainda sua essência tranquila e acolhedora muito bem preservada pelos moradores locais.

2. Bled – Eslovênia

Bled

Há muito para ser visto nessa pequenina cidade, mas com certeza o maior atrativo é o lago Bled. Considerado a atração turística mais popular na Eslovênia, o lago possui uma cor que alterna entre o verde e o azul- esmeralda que deixa qualquer visitante fascinado.

Mas Bled esconde ainda outras atrações que com certeza vão render belíssimas fotos e momentos inesquecíveis. É o caso do castelo de Bled, que é um dos mais bonitos de toda a Eslovênia e foi construído no século XVI. A igreja é outra grande atração da cidade. Segundo a lenda, quem toca sua campainha recebe sorte por muitos e muitos anos.

3. Pucisca – Croácia

pucisca

Esta linda cidade surgiu de uma formação rochosa d fundo mar, próxima à ilha de Brac. Pucisca é uma cidade que ostenta casas de pedra bem construídas e com telhados brancos pavimentadas para dar um charme extra ao lugar. A cidade sempre foi conhecida por sua cultura de alvenaria de pedra. A harmonia e homogeneidade das casas dos antigos plebeus, os palácios renascentistas e edifícios barrocos feitos de pedra branca deixam todos os visitantes sem fôlego. As manifestações culturais, tais como Summer of Culture, International Summer School of Music e Music Summer Festival of Brac, juntamente com a serenidade do lugar, trazem uma experiência inesquecível aos visitantes.

Você pode visitar as praias próximas, ver as paisagens pitorescas da enseadas próximas e frequentar os inúmeros restaurantes que servem comida tradicional da Dalmácia, onde o prato de cordeiro é especialidade. Quem gosta de esporte pode praticar mergulho, esqui aquático e outras modalidades. Apesar de ser uma cidade pequena, turismo é muito bem equipado e comporta muito bem todos os visitantes que recebe anualmente.

4. Manarola – Itália

Manarola

Essa linda cidadezinha é uma das menores na Itália, no entanto recebe muitos visitantes devido sua beleza espetacular. A construção mais antiga de Marola é a igreja de San Lorenzo, que remota de 1300, e faz da cidade a vila mais antiga da região. Em geral a cidade é conhecida mundialmente belas casinha construídas à beira de uma grande encosta.

Manarola é uma das cidades de Cinque Terre, na Riviera italiana. A Trilha do Amor, como é conhecido a região, conecta Manarola com a Cinque Terre Riomaggiore – outra cidade que é uma atração turística bastante conhecida. Os visitantes podem caminhar pelas trilhas que se encontram nas colinas e nos vinhedos, e logo após podem desfrutar de uma noite muito agradável saboreando a cozinha italiana e com excelentes vinhos.

5. Reine – Noruega

reine

Alguma vez você já sentiu vontade de fugir de tudo e ir para um lugar tranquilo e ficar somente relaxando em uma dessas casinhas de pescadores, na beira do mar? Não? Talvez porque você ainda não conhece Reine, essa pequena aldeia na Noruega que possui cerca de 300 habitantes. Os visitantes que vem até a pequena cidade buscam desacelerar da vida corrida de grandes metrópoles, e aproveitam o clima local desfrutando da boa culinária e das bonitas paisagens.

Essa aldeia está situada no arquipélago de Lofoten, uma seqüência pitoresca de ilhas quem tem o Círculo Ártico ao redor, e é provável que você se hospede em um rorbu, que são antigos chalés de pescadores que foram convertidos em acomodações para receber os visitantes. As principais atividades locais incluem a pesca, em grupo ou individual, passeios de caiaque, observação de baleias e ciclismo.

Em Reine você pode acampar sob as estrelas nas praias próximas, pegar uma balsa para uma aldeia vizinha ou conhecer alguns dos melhores lugares para caminhadas na Noruega. Um desses locais é o que leva os aventureiros até a montanha chamada Reinebringen, onde se tem uma vista deslumbrante das ilhas da região.

Existe também grandes chances, entre os meses de setembro e abril, que é a época de mais frio e noites claras, de você ver de perto o fenômeno da aurora boreal. É uma tranquilidade revigorante estar em Reine, independente de atividade que você escolher.

6. Mostar – Bósnia e Herzegovina

Mostar-Bridge

De todas as cidades que eu coloquei nessa lista, Mostar é a mais pitoresca delas. Muito conhecida pela sua Ponte Velha (Stari Most), uma belíssima ponte com mais de 400 anos de construção, e que foi destruída durante a guerra, mas reconstruída mais tarde e reinaugurada em 2004, a cidade é cercada por montanhas. Com muitos edifícios velhos contrastando com novas construções, a Cidade Velha é bastante tranquila e muitos cafés e lojas podem ser encontrados por lá. Há, inclusive boas opções para comer e apreciar a vista para a ponte ou outros pontos da Cidade Velha.

Alguns hotéis encontram-se em áreas um pouco isoladas, onde você terá a sensação de total tranquilidade ao trocar o barulho de carros e outros sons desagradáveis de uma grande cidade, pelo visual de uma bela vegetação e a sonoridade de um riacho

Alguns mais corajosos se arriscam em pular da ponte em sua parte mais alta, mas segundo os moradores , se você não sabe como fazê-lo, não se arrisque nesse tipo de aventura. Cheguei a ver de fato algumas pessoas saindo machucadas de lá, então resolvi não me arriscar nesse tipo de esporte.

7. Marsaxlokk – Malta

marsaxlokk-bay-malta-1440x900

A vila de Marsaxlokk está localizada na parte sudeste de Malta, que é famosa por seu grande mercado de peixes no domingo, também pelas pinturas decorativas feitas nos barcos. É uma vila pequena, com cerca de 3 mil habitantes, e no passado a maioria dos moradores trabalhava como pescadores. O nome Marsaxlokk vem da palavra “Marsa”, que significa porta, e a palavra “Xlokk” significa sul em maltês.

Segundo consta na história de Marsaxlokk, foi nesta baía que os primeiros fenícios que chegaram a Malta iniciaram seus negócios. E foi aqui também que a frota turca ficou ancorada durante o Grande Cerco de Malta.

Mesmo que Marsaxlokk seja uma vila encantadora com seus barcos pintados em coras vivas e restaurantes que servem peixes saborosos, os turistas às vezes visitam a cidade devido a seus estaleiros e estação de energia. A principal estação de energia de Malta está localizado aqui. O porto de Malta tem se desenvolvido muito ao longo dos últimos anos e é agora um dos maiores terminais de contêineres no Mediterrâneo.

Marsaxlokk tem uma pequena praia de areia no lado leste da vila, além da magnífica piscina de São Pedro em Delimaraa 20 minutos a pé. A Baía de St. Paul é excelente ponto para a prática do mergulho, snorkeling e salto na piscina natural. Outro lugar que merece muito a visita é onde se encontram as belas salinas da vila.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, escreva seu comentário
Por favor, escreva seu nome aqui